“Canal de São Lourenço terá estudo de impacto ambiental”

Já falamos neste blog sobre o bairro de São Lourenço, onde se localiza atualmente o porto de Niterói e entornos. Essa região da cidade foi em grande parte aterrada e, por abrigar o porto, precisa ser dragada periodicamente para permitir a entrada de embarcações. Foi publicada hoje no site do jornal O Fluminense uma matéria sobre o canal de São Lourenço que reproduzimos a seguir:

Análises de campo começam neste mês janeiro e devem ficar prontas até outubro

Trecho do Canal São Lourenço. Foto: Marcelo Feitosa.

Os primeiros passos para a realização do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e do Relatório de Impacto Ambiental (Rima), para a dragagem do canal de São Lourenço serão definidos nesta segunda-feira. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Niterói reunirá representantes do Instituto Estadual de Ambiente (Inea), Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH) e da empresa que venceu a licitação para a realização do estudo para alinhar os próximos procedimentos. As análises de campo começarão este mês e têm prazo de nove meses para sua conclusão.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Luiz Paulino Moreira Leite, lembra que a dragagem do Canal de São Lourenço é de responsabilidade do Governo Federal e, com objetivo de agilizar a obra, importante para a Indústria Naval, a Prefeitura de Niterói se prontificou a fazer o EIA/Rima. O levantamento foi uma exigência do Inea e antecede a revitalização do canal.

A dragagem permitirá que o calado (profundidade do ponto mais baixo da embarcação em relação à linha d’água) passe dos atuais 7 metros para 11 metros. Com isso o canal terá tamanho suficiente para a entrada de navios de grande porte. A expectativa é que a cidade possa voltar a incrementar sua vocação nas áreas de Off Shore, reparos navais, alfândega e cargas, com a realização de grandes negócios na área naval, ampliando a arrecadação no setor e gerando emprego e renda.

O secretário adiantou que, apesar de o contrato com a empresa prever que o estudo deverá ser concluído em nove meses, a intenção é que este prazo seja encurtado para seis meses. O investimento no EIA/Rima será de R$ 772.598,53.

“O objetivo da Prefeitura ao pagar a realização do estudo é colaborar para que a obra de dragagem possa ser acelerada pelo Governo Federal tão logo o Inea a libere. Essa é a grande expectativa que temos para ajudar a impulsionar a indústria naval na cidade fazendo com que ela retome o posto de berço e ícone no setor. Nunca se avançou tanto nos últimos anos em direção à tão sonhada obra da dragagem”, explica Luiz Paulino.

Ele ressalta que a Prefeitura atuará como mediadora neste momento e frisa a necessidade de realizar o estudo, sem prejuízo para sua qualidade, em um prazo menor, para que a obra possa ser realizada pelo Governo Federal também em um tempo menor: “Existe uma grande expectativa do setor e de profissionais da área em Niterói. Feito isso as portas se abrirão para o mercado internacional inclusive”, afirma Paulino.

Perfil social será traçado

O estudo também levará em consideração a geologia através da análise do solo, níveis de ruídos subaquáticos, caracterização de qualidade da água e qualidade química e microbiológica. A fauna marinha e suas características também serão analisadas.

Outro ponto importante do estudo diz respeito ao uso e ocupação do solo urbano, incluindo os usos residenciais, comerciais, de serviço, lazer, industrial e público. O aspecto econômico, que inclui economia social e renda média da população no entorno também serão levados em consideração, assim como nível de empregabilidade, proporção da população economicamente ativa, número de habitantes por idade, etnia e sexo.

“São dados importantes que levam em conta o perfil social e econômico da cidade e nos ajuda a projetar também as políticas públicas e tudo o que envolve o crescimento dessa indústria”, pontua Luiz Paulino Moreira Leite.

(Fonte: Jornal O Fluminense, Cidade)

Mais notícias sobre a dragagem do canal de São Lourenço:


 

 

Anúncios