A Igreja de Nossa Senhora da Conceição

Por Fábio Rangel, Grupo História de Niterói, 16/12/2016

Segundo o IHGN, o mestiço Affonso Corrêa de Pina, conhecido historicamente como Pai Corrêa, foi o responsável pela construção da primeira capela, por volta de 1660.

A escritura de doação do terreno, porém, teria sido celebrada em 1671, por herdeiros de Araribóia.

Em 1736 foi instituída a Irmandade da Conceição. De 1819 a 1831 ela foi utilizada como Matriz abrigando, durante todo esse tempo, a imagem de São João Batista, transladada da primitiva igreja de Nossa Senhora das Necessidades, em Icaraí, e depois transferida para a Matriz de São João Batista, no Centro. Mais tarde, de 1885 a 1886, voltou a ser Matriz provisória, pois a Catedral se encontrava em obras.

Além de ser a única igreja de Niterói a possuir o Relicário da Cruz de Cristo, selado pelo Vaticano, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição é a única da cidade a possuir um museu de Arte Sacra, onde é possível ver pratarias do século XIX e tochas que eram usadas em procissões. Possui sinos da época do império e à direita do templo, encontra-se uma capela do século XVII, anexa à igreja principal, após as obras de 1710. Ao seu lado foi construído o primeiro cemitério do município, mais tarde transferido para o Barreto.

Nela, celebrou-se o Te Deum comemorativo da criação da Vila Real da Praia Grande. Em seu interior, encontra-se a imagem de Nossa Senhora da Conceição, datada de 1672.

Gravura de Johann Jacob Steinmann, intitulada: “St. Joao de Carahy, a Praya Grande” – 1835

 

 

Anúncios