‘Natal na Rua’ emociona duas mil pessoas no Centro

‘Natal na Rua’ emociona duas mil pessoas no Centro

Mais de duas mil pessoas acompanharam e se emocionaram com o tradicional “Natal na Rua”, realizado em frente ao Teatro Municipal de Niterói, na segunda-feira (06). O evento, que está na sua 20ª edição, contou com a apresentação da Orquestra e do Coral do Programa Aprendiz, da Banda Municipal Santa Cecília, do grupo Bloody Mary, além dos artistas do coletivo ‘Anjos Pernaltas’ e do Papai Noel da cidade.

O Coral e a Orquestra Sinfônica Aprendiz, com cerca de 100 coralistas e 50 instrumentistas, abriram a noite com temas como “Semente do Amanhã” (Gonzaguinha), “Rapsódia Niteroiense” (Eduardo Louro) e “Noite Feliz”.

Em seguida, entrou em cena a Banda Santa Cecília, com seus 20 músicos distribuídos pelas janelas do histórico teatro para mostrar composições como “Frosty The Snowman” (Steve Nelson / Walter Rollins) e “White Christmas” (Irving Berlin).

Para encerrar a noite, em clima de muita animação e emoção, houve a chegada do Papai Noel, com sua mensagem natalina, seguido do grupo niteroiense Bloody Mary, que comandado pela vocalista Mariana Oliveira, colocou o público para cantar e dançar, com uma seleção especial de músicas, como: “Jingle Bell Rock”, “Hallelluya”, “Silent Night” e “Happy”.

Um dos maiores entusiastas do evento, o Secretário Municipal de Cultura, Marcos Gomes, ressaltou que o Natal na Rua já faz parte do imaginário da população niteroiense.

“Aqui, tradicionalmente, começa o clima e a beleza do Natal em Niterói”, destacou Gomes.

O Natal na Rua, que já foi assistido por mais de 350 mil pessoas, nos últimos anos, é uma realização da Prefeitura de Niterói, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação de Arte de Niterói – FAN, e em parceria com Plaza Shopping.

 

(Fonte: Folha de Niterói , 10 de novembro de 2017)

Anúncios

Educação ambiental na Ilha do Pontal em Niterói

Educação ambiental na Ilha do Pontal em Niterói

Espaço foi sinalizado e a ponte de acesso restaurada para receber visitantes

Até o final do mês a Ilha do Pontal, na Lagoa de Piratininga, perto do Cafubá, em Niterói, passará a receber estudantes para orientações sobre o meio ambiente, segundo a Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade (SMARHS). Nesta terça-feira (7), placas de sinalização e mensagens educativas já foram espalhadas no espaço.

Para garantir que o ambiente seja preservado pelos visitantes, a Secretaria sinalizou toda a ilha com placas informativas e refez a ponte de acesso ao local. Pelo projeto os estudantes serão conscientizados, de forma lúdica, sobre a preservação da área que compõe um dos mosaicos dos 16,3 milhões de metros quadrados do Parnit (Parque Natural Municipal de Niterói – Unidade de Conservação de Proteção Integral), criado para proteger a extensa área verde do município.

“O espaço foi elaborado com o intuito de fomentar a educação ambiental, por meio de trilhas interpretativas. Pedimos para que a população usufrua e colabore na manutenção deste espaço tão singular da nossa cidade”, explica o secretário municipal de Meio Ambiente, Eurico Toledo, acrescentando que, também como parte do projeto, a ponte que dá acesso à ilha foi reformada.

Em 2014, um decreto assinado pelo prefeito Rodrigo Neves criou o programa Niterói Mais Verde, que cria 22,5 milhões de metros quadrados de áreas protegidas no município. Um dos trechos protegidos é o Parnit, que inclui a Ilha do Pontal, que está sendo preservada, com resgatar dos vestígios de sambaquis encontrados em sua área, representativos das localizações distintas de comunidades indígenas na Região Oceânica. Na Ilha do Pontal – composta por quatro mirantes – se encontra uma grande quantidade de conchas de moluscos, indicando que povos antigos habitaram a região e usaram a ilha.

(Fonte: Jornal O Fluminense, 7/11/2017, Cidades)

(Fotos: SMARHS, via Blog do Axel Grael)

 

 

CULTURA EM NITERÓI: Cinema brasileiro terá museu interativo

CULTURA EM NITERÓI: Cinema brasileiro terá museu interativo

Depois do MAC, já consagrado como cartão-postal internacional, Niterói se prepara para ter um dos mais modernos museus interativos do país

Imagem de como será o salão principal do museu, que vai juntar história e modernidade – Divulgação

Depois do MAC, já consagrado como cartão-postal internacional, Niterói se prepara para ter um dos mais modernos museus interativos do país. O Museu do Cinema Brasileiro, planejado no início dos anos 2000 mas esquecido por 15 anos, já está com projeto pronto e, o mais importante, agora tem dinheiro para ficar de pé.

O museu vai funcionar no segundo piso do Rolo, prédio anexo ao Reserva Cultural — também desenhado por Oscar Niemeyer — e única parte do complexo que não foi ocupada. O dinheiro veio de uma emenda de R$ 1,5 milhão do deputado federal Chico D’Angelo, assinada dias atrás, três semanas depois da visita do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, a Niterói.

Sá Leitão, que foi diretor do Ancine e presidente da RioFilme, ficou encantado com o projeto. O museu é todo interativo e é inevitável a comparação com os geniais museus do Futebol e da Língua Portuguesa, ambos em São Paulo.

Um vídeo de pouco mais de três minutos, em 3D, passeia pelo espaço e antecipa o que o público poderá ver. O prédio, em formato redondo, terá uma grande sala no centro e dezenas de telas com trechos de filmes, galeria de personagens, cartazes e linha do tempo da história do cinema, em que o público poderá selecionar as produções por década.

Em volta do salão principal, há salas de exibição, simulação de sets de filmagem, câmeras usadas em diferentes épocas e ilhas de edição, tanto da era digital quanto de antigamente. Há ainda salas sobre curtas-metragens e documentários. Em todos os espaços, a ideia é que o público interaja e se sinta participando da produção de um filme.

Nos próximos meses, a prefeitura vai lançar a licitação para as obras do museu. Paralelamente, um conjunto de medidas, em parceria com o Ministério da Cultura, pretende estimular o setor audiovisual na cidade. Entre elas está o incentivo para que Niterói seja usada como locação para produções nacionais e internacionais.

(Fonte: O Globo, via Blog do Axel Grael, 18/8/2017)

Este texto foi apresentado na reunião do Rotary Niterói Icaraí, em 1/11/2017.

 

 

Revitalização do Mercado Municipal: mais um capítulo

Revitalização do Mercado Municipal: mais um capítulo

A revitalização do Mercado Municipal de Niterói voltou às páginas dos periódicos e também à página da Prefeitura de Niterói na internet, trazendo mais algumas novidades sobre esse assunto:

Prefeitura lança edital para revitalização do Mercado Municipal

19/10/2017 – A Prefeitura de Niterói lançou nesta quinta-feira (19/10) o edital da licitação para a revitalização, implantação, manutenção e gestão do Mercado Municipal Feliciano Sodré, no Centro. No dia 12 de dezembro será a concretização do processo licitatório. A empresa vencedora da concessão deverá fazer a reforma do prédio, mantendo os aspectos arquitetônicos da fachada, no prazo de um ano, além de revitalizar o entorno, com a construção de uma praça, centro cultural e de edifício garagem com 300 vagas, em dois anos.

O investimento privado será de aproximadamente R$ 69 milhões e não haverá contrapartida do Município. A estimativa é que a primeira etapa da obra comece no início de 2018 e seja entregue em 2019. A concessão será de 25 anos.

A área tem cerca de 9.700 metros quadrados – destes, 3.662 metros quadrados pertencem ao prédio do Mercado Municipal que contará com um pavimento principal, com delicatessens, restaurantes, quiosques de flores, de artesanato e alimentos, entre outros produtos.

“O Mercado Municipal é um dos projetos estruturadores do segundo ciclo do planejamento estratégico Niterói Que Queremos. A Prefeitura está buscando parcerias no setor privado para realizar grandes projetos na cidade e o mercado promoverá uma revitalização completa na área, além de movimentar a economia da região gerando centenas de emprego no município”, explica a secretária de explica a secretária de Planejamento, Modernização da Gestão, Orçamento e Controle, Giovanna Victer, que apresentou o projeto.

A secretária lembrou todo o processo da elaboração do projeto para a concessão de obra pública, desde o lançamento do procedimento de manifestação de interesse (PMI) para o estudo da reestruturação do espaço e sua exploração econômica até a escolha do projeto e lançamento do edital.

Giovanna destacou que a concessionária se remunerará exclusivamente a partir da receita gerada pelo Mercado e que o município terá uma outorga fixa mínima garantida, que poderá crescer conforme o sucesso do empreendimento, limitados a 6% do faturamento. O maior valor de outorga é o critério da escolha da concessão.

“O objetivo é que o Mercado Municipal seja uma referência no estado, com produtos oriundos de cidades do interior. Não será uma série de lojas e sim uma experiência gastronômica e de lazer. O mercado é uma estratégia alternativa para o desenvolvimento econômico da cidade, geração de empregos e estímulo ao turismo”, pontua o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Indústria Naval e Petróleo e Gás, Luiz Paulino Moreira Leite.

Também participaram do lançamento do edital o presidente da Câmara, Paulo Bagueira, o deputado estadual Waldeck Carneiro, os secretários Axel Grael (Executivo) e Fabiano Gonçalves (Administração), e a coordenadora do Núcleo de Gestão Estratégica, Gláucia Macedo, além de outras autoridades do município.”

(Fonte: Prefeitura Municipal de Niterói, via Blog do Axel Grael)

Este texto foi apresentado na reunião do Rotary Niterói Icaraí, em 25/10/2017.

 

Liceu Nilo Peçanha completa 170 anos

Liceu Nilo Peçanha completa 170 anos

Em setembro saiu estampado em diversos jornais a efeméride destacada sobre o Liceu Nilo Peçanha, uma das instituições de ensino mais antigas no Estado do Rio. Diz a matéria:

Escola pública estadual de Niterói foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 1984

O Liceu Nilo Peçanha, tradicional escola pública estadual de Niterói, completou 170 anos neste dia 12 de setembro. Com uma bela e apreciável arquitetura, o imóvel, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 1984, se destaca no conjunto arquitetônico da Praça da República, localizado na mesma cidade, demonstrando a importância histórica para a região.

A escola nasceu como Liceu Provincial de Niterói, em 12 de setembro de 1847, a partir de autorização do então presidente da Província do Rio de Janeiro, Visconde de Sepetiba. A unidade de ensino está em plena atividade, contando com mais de 2 mil alunos e funcionando nos períodos matutino, vespertino e noturno.

Uma das principais características é a forte ligação atual e histórica que os alunos e professores têm com a arte e a cultura, compondo grupos de teatro, coral, dança e até uma rádio, comanda pelos próprios estudantes. Inclusive, personalidades da literatura e da música que são referências nessas áreas, como o escritor Lima Barreto, o cantor Ronnie Von – ícone da Jovem Guarda – e a cantora Baby do Brasil, estudaram no Liceu.

Quem estuda e trabalha na unidade de ensino destaca a forte ligação com a escola e sabe que dificilmente se esquecerá das conversas pelos corredores, jardins, salas e outros espaços. Alguns professores, por exemplo, fazem parte do quadro de servidores há 5, 10 e até 30 anos.”

(Fonte: Jornal Gazeta Niteroiense, 16 a 33/9/2017, História, p.8)

 

Leia mais sobre as comemorações aqui.

(Foto: mapio.net/pic/p-15347248)

Este texto foi apresentado na reunião do Rotary Niterói Icaraí, em 27/9/2017.

 

 

Ilha do Pontal terá visitas guiadas a estudantes

Ilha do Pontal terá visitas guiadas a estudantes

Área na Lagoa de Piratininga está sendo revitalizada para excursões

Por Leonardo Sodré

Localizada na Lagoa de Piratininga, perto do Cafubá, a Ilha do Pontal, ainda pouco conhecida dos niteroienses, é visitada regularmente apenas por pescadores artesanais e jaçanãs, aves que são maioria no local, onde fazem seus ninhos. Novos frequentadores, porém, terão acesso à ilha em poucos dias: turmas de estudantes com até 25 alunos passarão a fazer excursões guiadas duas vezes por semana ali. Para permitir as visitas, uma ponte que dá acesso à ilha está sendo reformada, e trilhas serão reabertas e sinalizadas.

O projeto, uma parceria da Secretaria municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade com a de Educação, tem por objetivo ensinar às crianças a observarem a natureza e preservarem as espécies. As visitas à Ilha do Pontal serão iniciadas em setembro para crianças de 6 a 12 anos das escolas da rede municipal. Posteriormente, estudantes de colégios particulares também poderão fazer o passeio. A Secretaria de Educação deverá escolher as primeiras escolas da rede pública que participarão das excursões iniciais, agendando as visitas diretamente com a direção das escolas.

A estrutura que está sendo instalada na ilha inclui placas de sinalização com mensagens educativas que orientarão o percurso dos visitantes por ambientes variados, como rochas, mangue, brejo, laguna e floresta. Nas placas estará a imagem da ave símbolo da ilha, o jaçanã.

De acordo com a bióloga Vanessa Onofre, da Secretaria municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade, o jaçanã tem características muito próprias: as fêmeas montam seus ninhos na vegetação rasteira, às vezes submersos, e quem toma conta dos ovos são os machos. Com cerca de 20 centímetros de comprimento, a ave é pequena, mas chama a atenção pela exuberância, com plumagem negra, um manto castanho e o bico amarelo.
— Além de ser um local com forte presença dessas aves, a ilha tem ecossistemas variados e diversos tipos de fauna, o que possibilitará apresentar às crianças a composição e as características de habitats diferentes num passeio de uma hora — explica Vanessa.

Habitada por povos antigos

A Ilha do Pontal é composta por quatro mirantes e tem grande quantidade de conchas de moluscos, indicando que povos antigos habitaram a região. A ilha foi considerada reserva biológica e arqueológica municipal em 2002, para assegurar a preservação e o resgate dos vestígios de sambaqui encontrados na área, representativos das comunidades indígenas que viviam na Região Oceânica há séculos atrás.

Localizada próxima ao Cafubá, a Ilha possui vários ecossistemas (Foto: Prefeitura de Niterói)

(Fonte: O Globo Niterói, 5/8/2017)

Este texto foi apresentado na reunião do Rotary Niterói Icaraí, em 20/9/2017.